<

Alice no País das maravilhas de Tim Burton

24.04.10 por Bernardo Bauer (Google)

Neste feriado estréia nos cinemas do Brasil a visão de Tim Burton para um filme que foi muito legal quando criança. Alice no País das Maravilhas ganha a cara de Tim Burton e a fantástica atuação de Johnny Depp. Todo aquele clima nonsense continua presente, mas para a equipe de cinema do G1, o filme parece infantil demais. Apesar de ter cara de Tim Burton, o novo “Alice…” não é tão fantástico assim.

Talvez o foco comercial do filme com o obrigatório 3D e foco numa audiência que não viu o filme original faz com que a película não agrade os principais entusiastas que gostam dos 3 elementos do filme (Burton, Depp e a história maluco de Alice). Segundo a avaliação do G1 o 3D não impressiona e não é tão marcante quanto no filme Avatar e o filme, apesar de ter o mesmo nome do original, não é uma regravação, mas sim uma releitura do tema em outro momento.

Se a maioria dos cinéfilos fãs de Burton estranharam o casamento com a Disney para este projeto, parece que quem domina a relação é a Disney. Numa avaliação mais crítica que a do G1, o blog io9 fala que o casamento entre os dois não foi nada bom.

A rainha de copas que é a rainha original da história de Carroll, autor do livro As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, não aparece no filme. A rainha vermelha é que toma o seu lugar e pela descrição do io9 ela é uma mistura das duas e pode decepcionar os fãs da alucinada e psicodélica rainha de copas do filme da Disney da décade de 50.

Enfim. O filme de Burton pode ser ou muito bom ou muito ruim. Depende quão fã de cada um dos elementos que compõe o filme você é. Eu devo assistir o filme nas próximas semanas, mas mais interessado em quem for comigo ao cinema do que no filme em si.

Aliás, acabei esquecendo. A melhor entrevista que encontrei sobre o filme está no The Guardian. Já o primo do Bonequinho está completamente perdido. Gosta e não gosta do filme.

Deixe seu comentário