<

Diários de motocicleta

18.05.04 por Bruno Oliveira
“Fomos para Havana e Alberto Granado nos alimentou com dez horas de entrevista sobre a sua viagem pela América do Sul com Ernesto Che Guevara, em 1952. E ele o fez, sem nenhum interesse em embelezar a história”. As palavras de Walter Salles, diretor de Diários de Motocicleta, caracterizam exatamente o que é o filme. Uma produção simples, justa e que mostra os melhores momentos da história dos dois aventureiros, antes de Che se embrenhar na revolução cubana.

Gael e Rodrigo no deserto de AtacamaApesar do roteiro se mostrar um pouco cansativo no final, Diários de Motocicleta se destaca pelas belas paisagens dos países por onde os dois passaram (no filme, Gael García Bernal é Che Guevara e Rodrigo De la Serna, Alberto Granado), além de mostrar alguns detalhes interessantes da viagem, tais como as quedas ou quebras da moto La Poderosa (uma Norton 500, de 1939) e as caminhadas pelo deserto do Atacama ou pelas montanhas peruanas.

Walter Salles comprova sua fama de bom diretor ao juntar três elencos diferentes (um na Argentina, outro no Chile e o último, no Peru) e identificar e apresentar artistas desconhecidos e talentosos. Os personagens se misturam aos protagonistas da história como se fossem atores experientes. Entre os destaques, podemos lembrar o casal de mineiros chilenos e Márcia, a mulher peruana que teve de amputar o braço por causa da epidemia de lepra.

Foto exclusiva, por Mauro Ramos - “Che” em Copa: Gael Garcia Bernal, em Copacabana, fazendo uma gravação para o programa Caldeirão do HulkO diretor fez questão de mostrar, além dos locais, as dificuldades por que os dois aventureiros passaram e as culturas apresentadas em cada país. O filme se torna cômico em algumas passagens, como a dança do Chipi Chipi nos Andes Chilenos e o “muro dos inca-pazes” no Peru. Mas com o passar da narrativa e a mudança nos pensamentos de Che Guevara, a história ganha emoção. As cenas finais, como o mergulho de Che para comemorar seu aniversário com os leprosos e a despedida dos dois viajantes, arrancaram lágrimas de alguns.

3 Comentários para “Diários de motocicleta”

  1. […] em ascensão, maior trunfo do diretor estreante Matthew Parkhill, inclui Gael García Bernal (Diários de Motocicleta), Natalia Verbeke (O Outro Lado da Cama) e James D’Arcy (Mestre dos Mares: O Lado Mais […]

  2. QUERO SAIR MAS …
    VCS TEM Q COLOCAR OS LUGARES TDS ONDE ELES PASSARAM
    QUERO SABER PQ NAUM ENCONTRO EM LUGAR NENHUM .

  3. tatiane disse:

    eu gostei muito do filme ,ele lem de mostra as diferença de culturas nos paise nos mostra as dificuldades tambem

RSS feed for comments on this post. And trackBack URL.

Deixe seu comentário