<

O outro lado da rua

01.06.04 por Bruno Oliveira
Estreante na direção, Marcos Bernstein conseguiu convencer dois gigantes a fazer parte de seu filme. Fernanda Montenegro e Raul Cortez poderiam ser filmados contra um fundo branco que, com um bom roteiro, o filme daria certo.

Fernanda Montenegro: contra um fundo azulE Bernstein tinha um bom roteiro. Além da experiência como escritor em produções como Terra Estrangeira, Central do Brasil e O Xangô de Baker Street, seu script passou pelo laboratório de Sundance e mostra seriedade em cada diálogo. Mas o cuidado da pré-produção parece não ter sido mantido nas etapas seguintes.

A direção não é segura e isso é evidente na edição. Além do ritmo irregular – não é preciso ser chato pra mostrar que a vida de uma aposentada é chata –, a parte da história em que Camargo descobre que Regina o espreitava pela janela é completamente confusa. O resultado é que a oportunidade de fazer uma obra-prima é jogada pela janela e o que sobra é só um filme que só entretém.

Deixe seu comentário