<

Um tiro no Escuro

28.03.04 por Bruno Oliveira
Tido como o melhor da série que imortalizou Peter Sellers como o Inspetor Jacques Clouseau, Um Tiro no Escuro também é o primeiro filme que apresenta a estrutura que se repetiu várias outras vezes. É neste que aparecem as tentativas de assassinato mal sucedidas e que nos são apresentados o chefe de Clouseau, Charles Dreyfus – que desenvolve um ódio doentio pelo inspetor – e Kato, empregado e sparrow do nosso herói.

Peter Sellers no melhor filme do Inspetor Clouseau

O fato é que em A Pantera Cor de Rosa Clouseau não é o personagem principal. Peter Sellers fica à sombra de David Niven, em um filme que apresenta o personagem, mas não o mesmo estilo de comédia que suas continuações. Um Tiro no Escuro também não chega a ser uma continuação precisa do primeiro. Enquanto na Pantera o inspetor termina preso, neste nenhuma explicação é dada sobre a sua volta ao cargo.Não é estranho que a cinesérie tenha dado origem a uma série de desenho animado. Além dos personagens criados para as aberturas, o apelo do filme é junto ao público que gosta de humor visual. Quem rola de rir com Clouseau, também ri vendo os desenhos da MGM, Hanna-Barbera e os Looney Tunes. Blake Edwards dirige seus atores com o mesmo estilo que Friz Freleng – produtor dos desenhos da Pantera e lendário diretor de animações da Warner Bros. – dirigia seus personagens de animação.

Um Comentário para “Um tiro no Escuro”

  1. […] com a complexidade que não ajuda a história a andar. É até triste comparar Brilho eterno com O Pagamento, de John Woo, que quando trata do mesmo assunto – apagar a memória de alguém – causa até […]

RSS feed for comments on this post. And trackBack URL.

Deixe seu comentário